Confissões.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Doeu, doeu sim.
Ver aquela boca e ter certeza que não poderia mais toca-la.
Dou muito ver aqueles braços fortes e saber que não são mais meu aconchego ao ver um filme debaixo das cobertas.
Mas doeu mais ainda, saber que acabou assim  daquele jeito quase sem sentimento.
E mesmo com o fim refizemos nossos votos e é claro que não precisava jurar pra ele pra ter certeza que nunca iria esquece-lo. 
Afinal, eu já sabia dentro de mim que como diz todos os livros:
O primeiro amor agente nunca esquece não é ?
Foram longos meses de aprendizado e paciência
Não vou mentir, sinto falta dele sim; agente até se vê, ás vezes sem ninguém saber...
Rola aquela nostalgia com a presença confirmada do querido 'nó' na garganta.
Chorei ? Muito.
Mas quem sabe, um dia agente  volte?
Estou preparada também para se acaso não aconteça.
Novos amores virão, alguns vão ficar marcados outros não.
Foi eterno e intenso, enquanto durou.
Confesso que me sinto muito mais fria, e não tão abalada por juras prontas.


Afinal,  sonhos roubados transformam qualquer bela em fera.


Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário